Encontros e experiências no Rio de Janeiro

A Biblioteca Terra Livre e o Laboratório de Educação Anarquista iniciaram 2019 com uma visita ao Rio de Janeiro. A viagem teve como objetivo duas atividades de lançamento do livro ilustrado “A flor”.O primeiro lugar que nos recebeu com muito carinho, no sábado 12.01, foi a Roça, espaço comunitário na favela do Morro do Timbau – complexo da Maré, que veio a existir em meados de 2010 com a proposta de trabalhar coletivamente e em autogestão na distribuição de produtos de pequenos agricultores agroecológicos e produtos naturais e com isso ganhar um certo grau de autonomia. A Roça também dedica sua energia a um cineclube e uma pequena biblioteca para as crianças da região.

O primeiro passo do dia foi, ao fim da tarde, montar a exposição dos tecidos bordados a mão que deram origem as ilustrações do livro em questão. Essa movimentação chamou a atenção de algumas crianças que moram por perto e logo havia uma boa turma, de idades diversas, para participar da atividade. Na calçada da lojinha da Roça foi improvisado um canto de leitura e ali mediamos alguns livros, dentre eles “A flor”. Partindo da leitura e da exposição dos bordados originais, conversamos um pouco sobre a história do livro e seu processo de produção. Aguçada a curiosidade sobre o bordado, mostramos as linhas e as agulhas e partimos para a oficina. Nela, as crianças e adultos puderam experimentar essa linguagem e criar, a partir das linhas, seus próprios bordados com temas variados. Foi muito especial poder conhecer essas crianças e contribuir um pouquinho nesse trabalho sério desenvolvido pela galera da Roça. Por fim ainda tomamos algumas das deliciosas cervejas produzidas por elas e eles. Valeu demais Roça!!! Pra quem não conhece vale dar uma olhada no site https://roca-rio.com/ e quando estiver no RJ já sabe um lugar foda pra colar e somar.

Já no domingo dia 13.01 quem nos recebeu com o mesmo carinho foi a Casa Cultural Formiga Preta, no complexo do Alemão. O espaço busca descentralizar e okupar seja com a biblioteca comunitária, plantio ou atividades em eventos ou mutirões, buscando autonomia e transformação.

O dia na Formiga Preta começou cedo, com a arrumação de parte do acervo da biblioteca comunitária seguida de um delicioso almoço. De barriga cheia começamos a mexer com linhas e agulhas de crochê e logo estávamos prontos para a oficina. Montada a exposição, reunimos o pessoal numa sala (dessa vez apenas adultos, diferentemente do dia anterior) e falamos sobre a produção do livro “A flor” e também do projeto editorial do LEA e da BTL. Partimos então para a mão na massa e todo mundo bordou um bocado. O dia terminou tarde, com roda de jongo, capoeira e coco. Foi mais uma experiência animal de cooperação que nos inspirou muito para continuar o nosso corre. Valeu demais Formiga Preta!!! Tá aí mais um lugar pra fortalecer no RJ!

Nessa viagem ainda deu pra colar e trocar ideia com o pessoal da Escola Quilombista Dandara dos Palmares, da Biblioteca Fábio Luz e do Espaço Outrx.

Voltamos pra SP cheios de força e inspiração.

Valeu camaradas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *