Minha Desilusão na Rússia vol. 1

INFORMAÇÕES:
Título: MINHA DESILUSÃO NA RÚSSIA Vol. 1
Autor: EMMA GOLDMAN
Editora: BIBLIOTECA TERRA LIVRE
Idioma: português
Encadernação: Brochura
Dimensão: 23 x 16 cm
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: Novembro de 2017
Número de páginas: 254
Preço: R$ 40,00

120x53-comprar-preto

ÍNDICE:

APRESENTAÇÃO:

No centenário da Revolução Russa, trazemos aos leitores as memórias de Emma Goldman durante o tempo que passou na Rússia.
Emma chegou ao país em dezembro de 1919 e partiu no mesmo mês de 1921. Como a própria autora afirma, seu relato não tem como objetivo fazer uma obra historiográfica. Deixando de lado qualquer pretensão objetiva ou de escrever a “história verdadeira”, Emma preferiu escrever suas impressões durante os anos em que esteve na Rússia. Ao invés de adotar uma postura fria e distanciada, a autora toma seu partido: quer passar ao leitor suas experiências e das pessoas que escolheram Emma como sua confidente. Através do seu livro podemos travar contato com a vida dos trabalhadores e dos camponeses após 1917.
Ao longo das páginas temos um breve vislumbre do turbilhão do processo revolucionário que colocou a Rússia de cabeça para baixo. O que parecia ser impossível aconteceu: o Czar foi derrotado pelo seu próprio povo, que o considerava como alguém acima do bem e do mal até pouco tempo atrás. Após sua queda, o povo russo instaurou seu próprio organismo de classe: os sovietes.
Através do relato de Emma percebemos claramente que os sovietes e a ditadura do proletariado bolchevique não são a mesma coisa. Pelo contrário, são estruturas de poder antagônicas: enquanto no primeiro tipo de organização temos a auto-organização popular por meio de conselhos, no segundo temos a centralização administrativa que sufoca as iniciativas autônomas, estabelecendo a burocracia como uma nova classe de gestores. A autora mostra para nós diversos relatos de choque entre as duas estruturas. Percebemos, pois, que a virada da Revolução Russa à direita não se iniciou com Stálin ou com a repressão de Kronstadt. Esses eventos apenas intensificaram uma dinâmica já em curso.
Todavia, a autora não faz um panfleto simplista de propaganda doutrinária. Emma se mantém fiel em retratar a complexidade característica de todo processo revolucionário, no qual a Rússia não representa uma exceção. Vemos em sua narrativa membros do partido bolchevique buscando fazer trabalhos em relação direta com o povo, a despeito dos empecilhos do poder central; anarquistas que se juntam ao Exército Vermelho para combater as tropas reacionárias dos brancos, mas que se revoltam com a instauração da hierarquia militar. Apesar da sua posição firme contra o regime bolchevique, denunciando-o como o principal freio da revolução, Emma não deixa de apresentar as tramas enredadas que fizeram parte da Revolução Russa.
Para homenagear o centenário da Revolução, na qual os trabalhadores e os camponeses deram seu sangue por uma Rússia livre, trazemos o belo relato de Emma Goldman em Minha desilusão na Rússia. Em tempos em que a ideia de construir uma nova sociedade não faz mais parte do horizonte de expectativas, esperamos que as palavras de Emma contribuam para reacender a chama da revolução.

Biblioteca Terra Livre,
Primavera de 2017.